banner_dominicanas1 banner_dominicanas2 banner_dominicanas3 banner_dominicanas4 banner_dominicanas5 banner_dominicanas6 banner_dominicanas7

Moçambique: Partilhando a experiência do jubileu com as comunidades cristãs

Na última Assembleia da Vigararia, demos início ao Ano Jubilar, evocando a memória dos 50 anos de presença das irmãs em Moçambique (1959 - 2009). Nesse mesmo encontro, decidimos que esta experiência que desejávamos viver, tanto a nível pessoal como comunitário, seria bom partilhá-la também com as comunidades cristãs com as quais trabalhamos.

Animadas por este espírito, a nossa comunidade do Chirangano preparou-se para reflectir e celebrar a riqueza bíblica que encerra o Ano Jubilar, com as 4 Comunidades que normalmente acompanhamos: Icidua, Torrone Novo, Bairro de Janeiro e Chirangano,
Começamos por nos preparar comunitariamente, distribuindo as tarefas. Cada uma das comunidades cristãs acolheu muito bem esta iniciativa que para eles era cheia de novidade.

Esta partilha realizou-se na celebração dominical na qual participamos todas as irmãs da comunidade. Na hora da homilia uma irmã que não era a que habitualmente acompanha a comunidade, explicava o sentido bíblico do Ano jubilar e o seu significado na celebração dos 50 anos de presença da Congregação no nosso País. Este conteúdo era o que tínhamos reflectido juntas. Ajudou-nos muito o uso de uns cartazes que foram elaborados a nível da Vigararia e distribuídos por todas as comunidades, que continham
frases curtas com as ideias principais e desenhos alusivos.

Sentimos muito acolhimento e interesse da parte de todas as pessoas. Participavam activamente fazendo perguntas e observações muito pertinentes. Fizeram-nos sentir como em família pela sua adesão e manifestações de apreço pelas primeiras irmãs e por todas.

Este mesmo ambiente prolongou-se no fim da celebração eucarística, em que vários grupos de pessoas permaneceram conversando connosco sobre este tema. Cantamos e dançamos como não podia deixar de ser, quando se trata de uma festa.

Todas avaliamos como muito positiva esta iniciativa e ficámos muito contentes de como as pessoas a acolheram; Custou-nos um pouco a preparação mas a verdade é que nos enriqueceu muito mais. É assim como vamos avançando no caminho da festa do encerramento do Ano Jubilar, que será no dia 6 de Dezembro, em Milange, na localidade de Tengua, a nossa primeira missão.

Bem gostaríamos que todas as irmãs pudessem estar presentes neste momento. Mas não pomos de parte este sonho, porque temos a certeza de que, mesmo desde a distância, estareis connosco. Não é verdade Irmãs?!
Desde agora já contamos com o vosso apoio solidário e fraterno.
Bem-haja!

Comunidade S. Martinho do Chirangano (Quelimane)

ANIMAÇÃO MISSIONÁRIA

Mais uma SEMANA MISSIONÁRIA, na qual participou a Ir. Adelaide, da Comunidade de Lisboa. Foi na zona pastoral de Alcanena e, concretamente a ela , toucou-lhe a GOUXARIA.

Continuar...

ASSEMBLEIA INTERCALAR DE PROVINCIAIS

A Assembleia de Provinciais e de Vigárias continua a realizar-se, com tempos de trabalho, de estudo, de oração, de animação e brincadeira! Os dias são bem cheios, mas dá tempo para tudo.

Continuar...

ASSEMBLEIA INTERCALAR DE PROVINCIAIS (2)

No segundo dia de trabalhos tivemos connosco a especialista Irma Dolores Arrieta, que ajudou a Assembleia a reflectir, duma maneira viva e dinâmica, o tema  "ENVIADAS EM MISSÃO NUM MUNDO SEM FRONTEIRAS", o que requer uma nova visão e estrutura dos Institutos e Congregações.
 

Continuar...

ASSEMBLEIA INTERCALAR DE PROVINCIAIS (3)

Depois da nossa visita às Irmãs de Pamplona e de Huesca, recomeçamos os trabalhos e foi o tema da FORMAÇÃO, a todos os níveis, que nos ocupou em primeiro lugar. Contudo, também os temas da ESPIRITUALIDADE, MISSÃO, VIDA FRATERNA voltaram a ser motivo de estudo, de reflexão e partilha. As  propostas de projectos futuros, a nível da Missão, apresentadas por cada uma das Províncias foram analisadas por todas e ajudaram-nos a optar e a assumir algumas prioridades

 

FECHO DA ASSEMBLEIA

O último dia da Assembleia foi dedicado a informações de cariz prático, perguntas, notícias, redefinição de perspectivas futuras, etc.

Na avaliação final confirmou-se o que todas sentíamos e íamos comentando umas com as outras: que a Assembleia tinha sido excelente pela partilha ampla e fraterna; pela atitude palpável de escuta e de busca de novos caminhos; pela coragem e determinação com que se definiu a criação de alguns Projectos que vão dar um rosto mais internacional a algumas das nossas Comunidades; pelos momentos de oração; pelo desejo sincero de fidelidade ao carisma missionário e de opção pelos pobres; pela experiência muito intensa da vivência da fraternidade universal, causada não só pela presença de irmãs dos vários Continentes, mas pelas muitíssimas mensagens que cada dia eram lidas e que provinham das Províncias, Comunidades ou de Irmãs. Sentimo-nos de facto, muito acompanhadas por toda a Congregação…Foi  bonito e bom!

A Ir. Dominga Garro, Coordenadora Geral, teve a última palavra e convidou-nos a ser corresponsáveis com todos os sonhos partilhados estes dias e na realização dos que ficaram já definidos.

Contudo a EUCARISTIA foi a “chave de ouro” com que se fechou a Assembleia, e o que mais brotava do coração era o louvor e a acção de graças.

Participaram na Assembleia 20 Irmãs, provenientes dos seguintes lugares:

África: Guilhermina Firmina, Inocência Costa, Ana Maria Acedo
América: Eneida Galarce, Faustina Posada, Irene Farro, Dolores Otazu, Zully Rojas, Carmen Gracia, Benita Toj.
Europa: Deolinda Rodrigues, Nieves Escanciano
Asía: Mary Joseph, Milagros Guarte, Asunta Fang Li
Conselho Geral: Dominga, Conchita, Isabel, Juana Mary, Julia María

Depois foi chegando a hora dos abraços, do adeus… e custou, porque se criaram laços de amizade, de comunhão…

Visita às Irmãs de Pamplona

Nos dias 16 e 17, fomos visitar as nossas Irmãs de Pamplona, que gastaram as suas vidas nas mais diversas missões, espalhadas pelos 4  cantos do Mundo. Os encontros com estas Irmãs são sempre muito festivos, emotivos e barulhentos, pois todas querem falar, contar, perguntar. Como é natural, cada uma procura, sobretudo, saudar e falar com as Irmãs que trabalharam na Província de cada uma das Visitantes.

Continuar...

BODAS DE OURO da Ir Maria José Matias

BODAS DE OURO

Em Vós Senhor, eu pus a minha esperança. Sois o meu Deus
Toda a minha vida está nas vossas mãos!


A Ir Maria José Matias celebrou as suas Bodas de Ouro no dia 27- 09 - 2010 na Comunidade de Acolhimento – Lisboa.

Na celebração eucarística participada pelas Irmãs das Comunidades de Lisboa, a Ir. Maria José renovou a sua entrega ao Senhor e aos irmãos.

Fica o seu testemunho e acção de graças.

O que significaram estes Cinquenta anos de Consagração a Deus?
Uma caminhada diária na em Deus amor, que ama sem medida.

Na confiança que depositei n’Ele e na sua Palavra que é a Verdade, e na sua Presença, que fui sentindo ao longo da vida, ainda que oculta, e na total entrega e disponibilidade. No amor, e na caridade…

Um repensar e meditar as minhas atitudes, a minha maneira de ser. Sobretudo os momentos que passei junto do Sacrário, onde costumo ir a desabafar, a fazer-lhe alguns pedidos, ou simplesmente a escutá-lo, a estar…

Acção de Graças
A vós Senhor o meu louvor a agradecimento!!!

Senhor, obrigado pelo dom de vida que me deste.

Pelos meus pais que me criaram com muito amor e carinho, pelas minhas irmãs e de mais familiares.

Obrigado Senhor, por me teres convidado a seguir-Te, pelo Dom de Vocação, pelos cinquenta anos de Profissão Religiosa, que me concedes-te gozar…

Obrigado Senhor, pelas forças que me destes para lutar. Por me dares a valentia de arriscar a minha vida por Ti.

Obrigado Senhor, por me aceitares como testemunha do teu amor, e da tua ternura.

Obrigado Senhor, pelas alegrias, mas também pelos momentos difíceis.

Obrigado ainda pela minha comunidade, por cada uma das irmãs que a compões. Pela ajuda que todas e cada uma me têm dado.

Fotogalerias

Bairro 6 de Maio
Casa Provincial
Colégio Flori
Exposição missionária
Festa padroeiro
Moçambique
Peregrinação Fátima
Porto
Retratos de Família
Semana Santa Moçambique