banner_dominicanas1 banner_dominicanas2 banner_dominicanas3 banner_dominicanas4 banner_dominicanas5 banner_dominicanas6 banner_dominicanas7

Inauguração da "Catedral" de Inhassoro

 

Queridas Irmãs:
Queremos hoje comunicar-vos com muita alegria, que no dia 7 do corrente, dia feriado em que celebramos o Dia da Mulher Moçambicana, tivemos a inauguração da nossa Igreja de Inhassoro, a que carinhosamente chamamos de “nossa catedral”. Para que possam ver que realmente merece este nome, enviamo-vos algumas fotos.

Foi um dia de Festa grande, na qual participaram o Núncio Apostólico, o nosso Bispo da Diocese de Inhambane e o da Diocese de Itália a pertencem o P. Pio e as duas Leigas que fazem parte da equipa Missionária, assim como as individualidades do Distrito e muitos convidados, padres e Irmãs. Mas foi sobretudo uma festa grande para todo o povo de Inhassoro e das muitas comunidades cristãs que pertencem à Missão.

A preparação para a festa deu-nos, além de muito trabalho, algum susto, sobretudo pela chuva intensa da Véspera, que molhou a todas as pessoas que vinham em procissão das comunidades com a sua cruz…Todas chegavam completamente molhadas, mas com a alegria estampada nos seus rostos, por ter chegado o Grande Dia por que todos ansiavam, ver a sua Igreja Paroquial de Santo Eusébio!

A festa compôs-se de uma Eucaristia solene, repleta da alegria e sentido festivo do nosso povo. Mas a cerimónia da Bênção teve uma parte muito significativa, pois para muitos era a 1ª vez que viam a Bênção de uma Igreja.
A seguir foi o almoço de festa! Todos comeram e ficaram saciados. A Missão distribuiu por cada comunidade um saco de arroz e carne de vaca. Por sua vez, cada comunidade trazia o seu cabrito para aumentarem o seu caril e para oferecerem para a mesa de honra!

Foi um dia maravilhoso, cheio de sol e de alegria. Todos os convidados partiram muito contentes e… nós também. O cansaço da preparação foi compensado em grande pela satisfação de que tudo correu tão bem.

Hoje Domingo, tivemos a primeira missa, e a Igreja ficou completamente cheia. A catequese e demais actividades passam agora para o Centro Juvenil.
 Estamos, como vêem, com as mudanças exteriores, esperamos que também ajudem às mudanças interiores que são as mais difíceis...

Um abraço fraterno para todas

As Irmãs de Inhassoro

CRISTO RESSUSCITOU ALELUIA ALELUIA


Hoje a Vida se manifestou
na sua plenitude sobre a morte,
Para que todos tenham vida em abundância.

Muito queridas Irmãs

Aproxima-se o dia 15 de Abril, início do nosso retiro anual a nível Provincial. É sempre gratificante o encontro com todas as irmãs da Província. Pena é, que não possam estar todas as irmãs. O encontro, a reflexão e a partilha é uma riqueza para todas e cada uma de nós!
O nosso retiro dá continuidade à caminhada da «Quaresma» que nos temos esforçado por viver neste tempo de graça. Entramos na VI semana com o Domingo de Ramos. Aclamemos a Cristo Rei dos Reis.
Em tempo de Páscoa, a presença de Cristo Libertador, que é Liberdade torna-nos livres. Dizemos que estamos no tempo Pascal «última Ceia» libertadora, mas mantemo-nos tantas vezes na rigidez intransigente das «anteriores ceias».
No mundo actual, um dos temas mais abordados, e que de certa forma gera alguma inquietação no Homem, é a questão da Liberdade. Livre em ter, em fazer, em cumprir, em ser… Vamos todas fazer um esforço por viver e partilhar o Santo Tempo Pascal, na «liberdade dos caminhos novos», como profetas que «cantam a alegria de serem livres» e fazem tudo, mas mesmo tudo, para que todos os seres humanos vivam livres na bela «história de amor» em Deus. Cristo nos doou a verdadeira Liberdade, pela sua Morte e Ressurreição. A Igreja é, em todos os seus dinamismos e expressões, o culto da Vida, e de liberdade.
Dentro de poucas semanas estamos a dar início ao nosso Capitulo Geral. Todas estamos convidadas a participar neste grande acontecimento Congregacional, com a nossa oração e sacrifício. Que todas procuremos novos caminhos, em fidelidade e seguimento de Jesus e das pegadas dos nossos Fundadores e Irmãs que nos precederam: que os «sepulcro vazio» que nos parece encontrar na nossa vida de Missionárias Dominicanas, nos mostre a presença do Senhor que venceu a morte e que nos dá a vida para a oferecer aos nossos irmãos.

O Senhor Jesus está vivo entre nós, Ele Ressuscitou, e está Vivo no meio de nós.
Para todas e cada uma das Irmãs Santa e Feliz Festa Pascal vivida na Paz e Alegria de Jesus Ressuscitado.

Com carinho.

Irmã Maria Adelaide Varanda

Passeio de final do Ano

No passado sábado, dia 18 de Junho, os colaboradores do Externato Jardim Flori realizaram o passeio de final de ano.

Este ano o destino foi a cidade berço, Guimarães, onde, além de uma visita guiada ao Museu Alberto Sampaio, puderam apreciar o bonito centro histórico da cidade e a Penha, local de peregrinação de muitos.

Logo de manhã (ainda no autocarro), foi preparada uma surpresa para a professora Ana Miranda, que celebrou mais um aniversário nesse dia.

Durante o agradável almoço (na Penha), além de novamente se cantarem os parabéns à Ana Miranda, foi feito um agradecimento muito especial à Rosa, auxiliar do nosso colégio, que se irá reformar no final deste ano lectivo.

Após um pequeno passeio pelo local, todos regressaram ao Porto, com mais uns momentos especiais a guardar no coração.


Daniela Costa, professora no Flori há 9 anos


Mais um ano lectivo que termina!

Tantas crianças que se despedem, muitas de lágrimas nos olhos, com o sentimento de que encerram um ciclo muito feliz da sua caminhada.

Que bom é ouvir dizer que passaram, no Flori, alguns dos melhores anos das suas vidas. Não há melhor recompensa do que sentir que se contribuiu para a felicidade de alguém. Todos aqueles que colaboram com o colégio se alegram ao saber que, com o seu trabalho, participaram nessa caminhada feliz de tantos meninos e meninas.

Dizia Jenny Craig que “não é o que fazemos de vez em quando, mas o que fazemos dia a dia, que faz a diferença” e é bem verdade que todo o esforço e dedicação são recompensados.

Ter a humilde consciência de que se faz a diferença é uma das maiores dádivas da vida. Todos aqueles que trabalham com crianças têm esse poder nas mãos. O poder de fazer a diferença, ajudando a percorrer caminhos, iluminando trilhos e mostrando a importância de se viver e trabalhar com o coração.

“Acredito que o trabalho é amor em movimento. Tenho a impressão de que, se mais pessoas encarassem o trabalho e a vida desta forma, seriam capazes de realizar muito mais.”
Jeane Pinckert Dixon

 

Festa do Santo Padroeiro São Domingos de Gusmão

No primeiro domingo do mês de Julho o Centro Social 6 de Maio realiza a festa do santo Padroeiro. Esta festa reúne duas intenções, festejar o final do ano lectivo das valências (Creche e Pré-Escolar) e comemorar mais um ano de Independência de Cabo Verde, com homenagem ao Santo Padroeiro do Bairro, São Domingos de Gusmão, o nosso santo protector.

Os festejos tiveram início com a celebração da eucaristia, onde estiveram presentes colaboradores do Centro, crianças, irmãs dominicanas, voluntários, comunidade e amigos. A liturgia de domingo ensinou-nos onde podemos encontrar Deus. Garantiu-nos que Deus não se revela na arrogância, no orgulho, na prepotência, mas sim na simplicidade, na humildade, na pobreza, na pequenez. Foi uma missa muito bonita, participada, onde se ouviram cânticos lindíssimos, em crioulo, alusivos a cada momento da eucaristia. O ofertório foi um momento de grande partilha para todos, uma vez que todos os projectos do Centro estiveram representados e ofereceram a Deus o símbolo que os caracteriza. Para homenagear, uma vez mais, São Domingos de Gusmão, um colaborador do Centro pintou a sua imagem terminando na eucaristia, na presença de todos, a pintura do rosto, foi misturar arte com emoção, um momento único. Ao som do cântico “Obra di Nhor Dês” terminou a eucaristia.

Em seguida teve lugar um momento de convívio, o almoço partilhado, onde cada pessoa trouxe o que entendeu para partilhar e conviver com todos. Este foi também um espaço muito rico em diversidade gastronómica e cultural, onde pessoas de diferentes e de iguais culturas dividiram saberes, gostos e paladares. As pessoas almoçaram e confraternizaram alegremente ao som de ritmos africanos.

O terceiro momento do dia destinou-se à tarde cultural, este é um espaço onde os grupos do Centro, do Bairro e outros, que assim desejarem, podem apresentar o seu espectáculo (musica, dança, canto…). A tarde cultural teve início com as apresentações dos grupos das valências (creche e pré-escolar), que este ano se intitularam “Nu Djunta Tradison”, pretendiam mostrar a tradição musical/dança de seis pontos do globo (Portugal, África, Índia, China, Brasil e Havai). Em seguida e ao longo da tarde foram inúmeros os grupos que apresentaram o seu espectáculo, o publico estava animado e foi dançando ao som dos diferentes ritmos.

A festa de São Domingos de Gusmão pode considerar-se a festa da amizade, da partilha e da alegria de viver.

Maria João Andrade

CELEBRAÇÃO DA FESTA DE SÃO DOMINGOS FAMILIA DOMINICANA DE XAI-XAI E MAPUTO

KHONGOLOTE 7 DE AGOSTO 2011


Como já é uma tradição entre nós, celebramos como Família Dominicana, a festa de São Domingos de Gusmão, o Fundador é inspirador da nossa grande Familia de Pregadores. O encontro realizou-se na comunidade das Irmãs Dominicanas da Imaculada em Khongolote. Maputo.

Estivemos presentes, além das Irmãs da comunidade que nos acolheu e os leigos que partilham o espírito dominicano com elas. De Xai-Xai e Chonguene, marcaram presença as Irmãs Dominicanas de Santa Catarina com algum dos leigos participantes na família alargada que conformamos seguindo o espírito de Domingos. De Maputo e Mahotas estivemos todas as irmãs e o nutrido grupo de leigos que vão fazendo a sua caminhada de pertença à Familia Dominicana acompanhados pelas irmãs de Mahotas.

Estes encontros sempre são uma oportunidade para a oração, reflexão e partilha da nossa vida e espiritualidade dominicanas. O tema de reflexão que nos convocou este ano foi “Pregação, urgência, necessidade e obrigação.”
Logo de inicio participamos na celebração da Eucaristia Dominical na Paróquia na qual as irmãs trabalham. Toda a celebração tinha sido preparado cuidadosamente e foi por isso que o ambiente nos ajudou a viver uma experiência diferente de festa, de acção de graças e de compromisso.

Seguidamente fizemos uma breve dinámica de apresentação, através da dança e da palavra, que nos preparou para entrar no momento da reflexão. Uma apresentação de power point nos ajudou a reflectir sobre o tema proposto e nos serviu de fundamento para o posterior trabalho de grupos. Na partilha que fizemos no plenário, fomos desenhando os desafios e os compromissos que poderíamos assumir desde a nossa identidade e presença dominicana no meio do povo e da Igreja.

Assumimos todos, o compromisso de escolher a um membro dos grupos representados, para fazer parte de uma equipe juntamente com as irmãs, para coordenar um programa conjunto e avançar no desejo expresso de marcar caminhos de missão conjunta.

Acreditamos que o sonho que está despertando entre nós de formar uma equipe de pregação será um dia uma realidade.

Notícias de Mozambique

Retiro anual

Nem 900, nem 1800, nem 2100 km a serem percorridos pelas irmãs, puderam impedir, à quase totalidade das irmãs da Vigararia, de participar no retiro anual, programado previamente, entre os dias 17 e 22 de Julho. Foi necessária, muita persistência e criatividade, para conseguir a dispensa do trabalho profissional e para deixar as responsabilidades que assumimos nas obras sociais e pastorais, devidamente entregues, tendo em conta de que se tratava de uma ausência de duas semanas! Como sabeis após o Retiro seguia-se a XI Assembleia Electiva da Vigararia.

Demos início ao Retiro, sentindo vivamente a necessidade de uns dias de silêncio, de descanso e de rever o nosso itinerário de encontro com Deus e connosco mesmas. Foi por isso que imediatamente se criou um ambiente propício e saudável para viver o que todas desejávamos. As condições propícias de uma casa de retiro de religiosas concederam-nos o resto.

No entanto, temos de reconhecer que a proposta que nos foi feita pelo Padre Álvaro Lopez, Missonário da Consolata veio igualmente ao encontro de cada uma. Acreditamos que, pela acção do Espírito, cada uma o “acolheu na sua língua” e sentiu a sua presença que regou o estéril, aqueceu o frio, consolou e encheu de plenitude os germes de vida.
Todas reconhecemos o trabalho que fez o Pe. Álvaro para ler a vida dos nossos Fundadores e penetrar no espírito dos últimos documentos que temos estudado, relacionados com a reestruturação. Tudo contribuiu para que a sua proposta de oração e reflexão, se aproximasse tanto a nós e, de alguma maneira, fosse uma preparação para a Assembleia

Ficámos contentes e com a confiança de que os bons propósitos que fizemos nos ajudam a crescer, não só em idade, mas também na sabedoria diante de Deus e ao serviço do povo.

 

 

 XI Assembleia Electiva

A Assembleia anual da Vigararia decorreu entre os dias 23 a 31 de Julho com a participação da totalidade das irmãs que formamos a Vigararia. A partir do dia 28, as irmãs delegadas das comunidades e as irmãs do Conselho da Vigararia, deram continuidade, segundo às nossas normas, aos trabalhos de eleição das irmãs do Conselho e à aprovação do Plano de Trabalho estudado previamente por todas.

Durante os três primeiros dias, a Irmã Conselheira Geral, Delegada para África, a nossa irmã Raquel Gil, apresentou-nos o conteúdo do Capítulo geral, recentemente celebrado.

Foi um tempo de graça para todas, porque através da partilha viva e entusiasmante de Raquel, sentimos que alguma coisa nova estava a nascer no meio de nós. A verdade é que ficámos tocadas e apanhadas pela proposta de revitalizar o nosso Carisma, de viver a nossa identidade missionária criativamente e da nova proposta de governo.

Não temos dúvida de que este encontro marcará um antes e um depois para a vida da Vigararia. Afinal, o que nos é proposto não vem ao encontro daquilo que sonhamos ser e fazer? Teremos motivos para não aderir com todas as nossas capacidades e possibilidades a este itinerário congregacional? Qual será o obstáculo que nos poderá impedir de entrar em processo?

Tanto no Retiro como na Assembleia, nos “perseguia” a cada passo o texto do Profeta Isaías e, não era fácil resistir, por isso ainda agora o partilhamos convosco: “Quem será o meu mensageiro, a quem enviarei… Eis me aqui, envia-me a mim”.

Tal vez seja do vosso conhecimento, o resultado das eleições. Foi eleita para coordenar a Vigararia a Ir. Odete Miguel Henriques, para administração a Ir. Olinda Mbunia, para secretaria a Ir. Maria Auxiliadora Hernández e conselheira, a Ir. Idalina Filipe.

Vos pedimos a vossa oração e apoio fraterno para que na Vigararia nos mantenhamos fiéis ao Carisma neste processo de reestruturação iniciado em toda a Congregação.
E não podemos deixar de expressar o que foi sentimento comum de todas e tantas vezes manifestado, de uma maneira especial na oração: a imensa gratidão e agradecimento à nossa querida Província pela solidariedade recebida, de tantas formas sentida. Bem hajam queridas Irmãs!

Fotogalerias

Bairro 6 de Maio
Casa Provincial
Colégio Flori
Festa padroeiro
Fundadores
Moçambique
Peregrinação Fátima
Porto
Retratos de Família
Semana Santa Moçambique