banner_dominicanas1 banner_dominicanas2 banner_dominicanas3 banner_dominicanas4 banner_dominicanas5 banner_dominicanas6 banner_dominicanas7

Experiência de quem vê nascer e vê morrer

As imagens das casas que se seguem são a expressão dum culminar duma etapa dum PROJETO, nascido em 1976, por iniciativa das Irmãs Missionárias Dominicanas do Rosário, tempo em que reinavam, em pleno, o entusiasmo, a inovação e o compromisso cristão, social e político, fruto do Concílio Vaticano II e do 25 de abril, em Portugal.

A casinha aqui apresentada expressa a realidade atual do que ainda resta do Bairro 6 de Maio, pois que os Bairros das Portas de Benfica, das Fontainhas, do Bairro Novo e da Estrela d África, campo da ação do referido PROJETO, já não existem. A casinha fotografada em vários ângulos, é a residência das Irmãs que aqui desejam viver até quando lhe seja permitido, não só para acompanhar o pequeno Grupo de Famílias, umas 70, que ainda aqui se encontram e que são, sem dúvida, as que , no momento, mais precisam, devido a circunstâncias várias e, ainda, para que a Câmara Municipal, decida quanto antes o que vai fazer do Centro Social 6 de Maio.

Chegadas a viver este momento o que se sente? O que se pensa? O que deseja?

Tantas coisas que te vêm à cabeça e, sobretudo ao coração, que não é fácil pô-las por escrito! Mas como se deseja, apenas, partilhar o essencial é preciso estar atenta para que a emoção e a parcialidade não o ofusquem.

-Olhando para trás, o que apetece dizer é: OBRIGADO SENHOR!

Obrigado por este lindo Projeto, tão bem concebido pelas primeiras Irmãs, pela população cabo-verdiana, na sua maioria, a chegar, na altura, em catadupa e pelos Voluntários e amigos.

Obrigado pelos que depois foram chegando, sobretudo guineenses e são-tomenses que enriqueceram a comunidade

Obrigado pela fidelidade das Irmãs que se seguiram até aos dias de hoje, pelos Colaboradores do Centro Social 6 de Maio, pelos Voluntários e Amigos que sempre desejaram ser fiéis aos princípios básicos que alicerçaram o Projeto.

Obrigado pelos inumeráveis subprojectos, ações, atividades, ajudas que constituíram a vida, em todas as áreas ( pastoral, educativa, social, cultural, familiar, política, festiva, jurídica, psicológica, etc.) destes 41 anos de presença e de trabalho. Muitas delas bem sucedidas e outras não tanto, mas que, no seu conjunto, mereceram o elogio e a admiração de muita gente, de muitos grupos e Instituições

Obrigado por sabermos que, gente sem fim que por aqui nasceu e viveu e que agora se encontra espalhada pelas mais diversas partes do mundo, ou de Portugal, sempre que tem oportunidade nos diz coisas do género: "Obrigado: o que eu sou, devo-o às Irmãs, ao Centro Social, aos Amigos, à vida que aqui vivi". Ou: " Eu estou bem onde agora me encontro, mas se pudesse voltava para o bairro. Tenho tantas saudades!" Ou, ainda: Abrir a camisa para nos mostrarem a tatuagem no peito, ou nas costas que diz: "amo o bairro 6 de maio". Outro exemplo: a organização dum primeiro Encontro, em Paris, no dia 6 de maio deste ano, para convívio das pessoas que foram destes Bairros e se encontram em França, Luxemburgo, Inglaterra e...

Como tem que ser grande o nosso OBRIGADO, meu Deus!

-Olhando o presente:

É tempo de saborear os frutos saborosos até agora amadurecidos e alguns dos quais foram mencionados.
É tempo de chorar o que não se conseguiu, pois muitas foram as pessoas dos Bairros que ficaram presas nos meandros das drogas, da delinquência, do fracasso, do analfabetismo, da ignorância, do fracasso profissional.
É tempo de sofrer e de ajudar, tudo o que se possa, as pessoas que ainda aqui se encontram com situações difíceis, ou porque, tendo direito a ser realojadas, estão indocumentadas, ou porque não têm direito por terem vindo para o bairro depois de 1993, altura em que se fez o realojamento.
É tempo de viver as preocupação, os medos, as inseguranças com as pessoas que estão a sair e que não gostam do sítio para onde vão, que se encontram com imensos problemas relativos às casas que compraram, etc., etc.
É tempo de desejar que esta realidade do bairro - que já não é Bairro, como dizem as próprias pessoas que ainda aqui se encontram - acabe quanto antes, devido à degradação do espaço, das casas, da lixeira que nos rodeia e, sobretudo, sobretudo, devido à degradação humana que está bem patente, diante dos nossos olhos, do nosso coração, devido às centenas e centenas - não sei se milhares - de toxicodependentes e traficantes de droga que dia e noite nos rodeiam e habitam os buracos, cubículos, que por todo o lado abundam, incluindo algumas partes da nossa própria casa.
É tempo de desejar, ansiosamente, que a Câmara nos diga com brevidade o que pensa sobre o futuro do Centro Social, sobretudo porque nos preocupam os cerca de 30 Colaboradores contratados que temos

-Olhando o futuro: Para o expressar não pode haver melhor escolha que a pintura da Ressurreição de Jesus, pintada pelo nosso Colaborador Nuno Remédio, que pela sua beleza e significado fala só por si. No entanto, direi que seria ótimo se tivéssemos uma Equipa de Irmãs Jovens, animadas, verdadeiramente missionárias, capazes de iniciar novos Projetos, dando continuidade a tudo o que já foi feito, mas com metodologias diferentes, uma vez que a população dispersa, está, ainda, mais aberta e sedenta!. Mas?!...Tudo CONFIAMOS nas Mãos de DEUS!

Comunidade das Irmãs da Venda Nova- Portugal

FELIZ E SANTA PÁSCOA! CRISTO RESSUSCITOU!

Lisboa, 11 de abril de 2017

Muito querid@s amig@s

A Páscoa é o centro da nossa fé. Contra todas as probabilidades, Jesus vence a morte! E abre, para nós, o caminho para uma vida plena. Começa para toda a humanidade um tempo novo, onde podemos viver segundo o sonho de Deus. Foram derrotadas todas as forças que impedem uma vida verdadeiramente humana e feliz.

“Que grande alegria é para mim poder dar-vos este anúncio: CRISTO RESSSUSCITOU! Queria que chegasse a cada casa, a cada família e, especialmente onde há mais sofrimento, aos hospitais, às prisões… Sobretudo, queria que chegasse a todos os corações, porque é lá que Deus quer semear esta Boa Nova: JESUS RESSUSCITOU, uma esperança despertou para ti… Venceu o amor, venceu a misericórdia!” (Mensagem de Páscoa do Papa Francisco).

Ao longo destes cinquenta dias, da Páscoa ao Pentecostes, louvamos a Deus pelas maravilhas que Ele realizou em Jesus e na nossa vida. Fortalecemos a nossa fé neste Deus maravilhoso. Deixamos que a intensidade desta experiência vá moldando a nossa maneira de ser.

Queridas irmãs, hoje como há dois mil anos, as mulheres e os discípulos de Emaús, que “… correram a levar aos discípulos a notícia da ressurreição.” Somos desafiadas a ser mensageiras desta grande notícia:

“Se Jesus ressuscitou mesmo
Se a morte foi derrotada, se as regras do jogo já mudaram…
Não posso ficar com a notícia só para mim.
É urgente comunicar esta alegria.
E acender em tantos corações
O desejo de voltar a ser feliz.

Aqui me tens, Senhor.
Usa os meus pés, a minha voz, o meu sorriso,
Para anunciar a tua Páscoa.
Aos que acreditam em Ti sem grande entusiasmo.
Aos que se empenham na construção do teu Reino de Amor.
Aos que choram e têm medo.
Aos desencantados.
Aqui me tens.
Faz-me correr ao encontro de tantos irmãos.”

 

Sejamos portadores do amor que Deus tem por todos nós a todos os que nos rodeiam, sendo hoje testemunhas da ressurreição.

Vos abraçam fraternalmente,

As irmãs do Conselho Provincial: Adelaide, Cármen e Mafalda

 

 

 

Filme sobre a Páscoa

No dia 10 de abril as crianças da Creche e do Pré-escolar viram um filme que retratava a vida, a morte e a ressurreição de Jesus. Embora não seja um tema fácil de compreender, as crianças assistiram com entusiasmo ao filme para ver o que aconteceu na vida de Jesus.

Teatro - Grupo Carácter

No dia 10 de abril o Grupo de Teatro Carácter ofereceu às crianças e adolescentes um espetáculo que se intitulava “A invasão”. Foi um momento divertido e animado para terminar o dia. Agradecemos muito a generosidade para com as nossas crianças.

 

Colaboradores do Centro de Solidariedade do Chirangano, Quelimane

Eu sou Carlota Carlos Assamundine, de 22 anos de Idade natural de Quelimane.

Falar do meu trabalho aqui no Centro de Solidariedade do Chirangano é uma experiência muito boa, só de pensar nas actividades que faço é algo muito dignificante pra mim e me sinto muito alegre.

Comecei a frequentar o centro quando estava no ensino médio e já usava os serviços que o centro oferecia como: explicação, curso de Inglês, e curso de informática isto em 2011 quando abriu a biblioteca, fui sempre uma das leitoras activa, fui a décima pessoa a fazer a inscrição para obter o cartão e ter acesso a biblioteca. 

A minha participação como colaboradora começou em 2013, a convite das Irmãs para colaborar na área da biblioteca como bibliotecária e eu aceitei, fiz voluntariado na área de alfabetização foi uma experiencia incrível, vendo aqueles alfabetizandos a ler e a escrever para mim foi muito gratificante.

Actualmente só colaboro na área da biblioteca, Já se passam 4 anos de experiência, e tenho aprendido muito com as Irmãs. Aprendi que qualquer trabalho é digno e dignificante se executarmos com amor, num espirito de serviço e de entrega. Tenho atendido os leitores como irmãos e trabalho com alegria, e ganhei uma nova família que são os meus colegas de trabalho.

Me sinto muito bem realizando aquilo que são as minhas actividades aqui no centro, e tenho trabalhado cuidadosamente para deixar tudo em ordem.

 

Respondo pelo nome de Rosa Gonçalves Carlos e sou colaborada deste Centro

Comecei a frequentar o centro no ano 2012 onde fiz o curso de Informática e entrei nesse Centro como bibliotecária no ano 2014, no período das 14 as 18 horas.

Nos primeiros dias de execução desse trabalho tive muitas dificuldades mas com ajuda de outros colaboradores e muito mais da Irmã Mafalda Moniz consegui ultrapassar esse problema e é de louvar a Deus porque este trabalho tem sido muito significante, e tive muitas experiência de como trabalhar na secretaria, e muito mais na área da biblioteca onde agora executo meu trabalho sem nenhum problema e com muita dedicação e simpatia ao serviço dos estudantes que frequentam o centro,

Este Centro tem ajudado muito aos estudante do bairro e outros, oferecendo aulas de explicação e cursos intensivo de Inglês, Informática, o curso de corte e costura e Alfabetização. Agradeço muito as Irmãs por me ter colcoado a su aconfiança em mim durante estes anos. Muito obrigado.

  

Eu sou Maria Ribeiro

Trabalho no Pré-Escolar. Projecto “Crescer mais” do Centro de Solidariedade do Chirangano. Trabalhar neste projecto tem sindo uma experiência única.

Lidar com crianças dos 4 anos aos 5 anos de idade tem sido um desafio total, cada dia que passa sinto que o pouco que sabia acerca de crianças, era mesmo pouco, porque aqui não somos nós que ensinamos o que é amar o próximo mas sim as crianças é que nos ensinam. Ganhar a confiança delas é a melhor parte desse trabalho.

Trabalhar com crianças nesta faixa etária é estar sempre a testarem a nossa paciência e nossa responsabilidade.

Este é o meu segundo ano neste projecto, posso garantir que aprendi muito com as crianças e continuo a aprender a ser mais tolerante, mais paciente e a amar a todos sem escolhas apesar das dificuldades de que cada criança apresenta e ao saber ultrapassar essas dificuldades é sempre um incentivo para continuar a esforçar-me ainda mais.

 

Chamome, Kelven Tomas Pedro Barroso,de 24 anos de idade, sou natural de Quelimane,

Iniciei a minha colaboração no Centro de Solidariedade do Chirangano a convite das Irmãs em Fevereiro de 2016 na área de Informática.

Tem sido para mim um grande desafio, lecciono o Curso que tem a duração de 2 Meses, ministrando cinco pacotes, Windows, Word, Excel Powerpoint e Internet, ministrados em três períodos distintos Manhã das 08 as 10h, Tarde das 14 as 16h e das 16 as 18h,

Até este momento  tenho sentido um bom acompanhamento vindo dos estudantes, das Irmãs, por parte e dos outros colaboradores, fazendo um bom ambiente de amizade e irmandade.

Por fim quero agradecer a Deus em primeiro lugar pela força, coragem e paciência que em mim tem depositado para a realização das minhas tarefas e pelas irmãs pela oportunidade de colaborar no centro.

 

 

 

 

 

Sou Nilza Regalado

Comecei a trabalhar no Centro de Solidariedade do Chirangano em 2016 a convite das Irmãs, para colaborar na área da cozinha e limpezas das salas. Desde o princípio abracei esse desafio onde me encontro até então.

Falar do meu trabalho aqui não saberia por onde começar já que cada dia é um desafio, tenho trabalho com a máxima dedicação e amor, e tenho feito o lanche das crianças do pré escolar.

Me sinto alegre a cada dia que passa vendo os sorrisos de cada criança, todas felizes comendo o lanche. Me sinto muito bem trabalhar aqui e tem sido uma óptima experiência. Aqui no centro ganhei uma outra família de amigos e colaboradores. 

 

 

 

 

Sou Ivania Cândido Sualige colaboradora do centro de solidariedade de Chirangano.

Foi contratada pelas irmãs Missionária Dominicanas do Rosário no dia 10 de Fevereiro de 2016, comecei a trabalhar no dia 13 de Fevereiro foi bem recebida pelos colegas assim como pelas irmãs.

Nos primeiros dois meses foi difícil porque não tinha experiencia das atividades não sabia dividir o tempo do trabalho. Com ajuda dos colaboradores adaptei-me ás atividade o que não percebia procurava saber com os colegas mas experientes não fazia algo, sem procurar saber como, e que se faz.

É uma boa experiência estar a colaborar no centro, aprendi muita coisa com ajuda dos colegas, aprendi a trabalhar em equipa, aprendi a lidar com o público, a ser paciente, prendi a arrumar livros de formas correta, a preencher os livros dos leitores, a fazer inscrições dos cursos, preencher fichas, a fazer cartões, renovações, preencher faturas,  a me comunicar melhor com pessoas a fazer Marketing dos cursos existentes no centro.

Agradeço as irmãs Missionárias Domínicas por me contratarem como colaboradora do centro e pela iniciativa da existência do centro, o centro ajuda muita gente a se formar e ajuda no desenvolvimento do bairro Chirangano assim como os moradores da cidade de Quelimane se beneficiam muito do centro.

 

Chamo-me Goncalves Valia Merci, natural de Quelimane.

   

Chamo-me Alves Maceti, natural de Quelimane.

 

Começamos a trabalhar no Centro de Solidariedade do Chirangano, em 2012 desde lá até agora, já temos 5 anos de trabalho aqui no centro, na área de segurança do centro, ainda não houve reclamações por parte da segurança, o trabalho esta andar sem nenhum problema.

Alem de sermos segurança fazemos outras actividades como cuidar do jardim, a limpeza do pátio, controlar a água e olhamos também na segurança do pré-escolar, que tem a ver com a segurança das crianças dentro do centro, quer na parte interna e externa do centro.

 O trabalhar aqui no centro é uma experiencia, muito boa temos aprendido muito com as Irmãs, o trabalho que fazemos é com amor, e muita dedicação e respeito.

Os outro colaboradores das outras áreas tem nos ajudado muito e trabalhamos com espirito de fraternidade.

 

Chamo-me de Rodrigues Rodrigues Taiobo, vivo no bairro Torrone velho, sou natural Quelimane, tenho 28 anos de idade.

Dizer que comecei a colaborar neste centro como alfabetizador no ano de 2014, fui bem recebido com todo respeito e me sinto feliz por estar neste centro porque todos colaboram bem e não há nada do mal.

Actualmente colaboro em duas áreas, tais como alfabetizador e bibliotecário, também o trabalho esta andar bem e como deve ser.

O Centro de Solidariedade do Chirangano tem muita aderência e é reconhecido como uma das principais biblioteca da cidade, isto porque vêem alunos, estudantes oriundos dos outros bairros que vem de muito longe, não só o centro já formou muitos estudantes e os mesmos quando entram de ferias sempre vem visitar o centro e olham como ponto de partida e ate agora o centro continua formando alunos.

Por último agradecer a Deus pela saúde que me tem proporcionado e as Irmãs Missionarias Dominicanas do Rosário pelo carinho que elas têm para com o centro como também pelos colaboradores deste estabelecimento é por tudo isso que o centro esta a funcionar bem. 

 

 

Fotogalerias

Bairro 6 de Maio
Colégio Flori
Exposição missionária
Festa padroeiro
Capítulo
Fundadores
Mocambizade
Peregrinação Fátima
Retratos de Família
Semana Santa Moçambique