banner_dominicanas1 banner_dominicanas2 banner_dominicanas3 banner_dominicanas4 banner_dominicanas5 banner_dominicanas6 banner_dominicanas7

Festa de Santa Catarina de Sena



Jovens  Se fores  aquilo  que  Deus  quer  Colocareis  fogo  no  mundo

 

Carta da Irmã Adelaide Varanda

 

Muito queridas Irmãs.

Passam pouco mais de nove dias que celebramos a festa, a grande Festa, ‘’A Morte e Ressurreição de Jesus’’.

Depois desta grande celebração, em breve vamos celebrar o dia 29 de Abril, Santa Catarina de Sena, para todas nós e Província, é um dia muito expressivo temo-la como Padroeira. Santa Catarina de Sena.

 Seguramente já todas estudamos e ouvimos falar de Santa Catarina. Mas o certo é, que quantos mais lemos os seus escritos (suas cartas), mais admiramos a grandeza desta mulher, descobrimos sua grande riqueza interior.

 Hoje, gostaria de falar-vos sobre esta mulher que teve um papel de destaque na história da Igreja. Trata-se de Santa Catarina de Sena. O século em que viveu – o décimo quarto -foi uma época conturbada para a vida da Igreja e da sociedade em geral na Itália, e na Europa. No entanto, mesmo nos momentos de maior dificuldade, o Senhor não cessa de abençoar o seu Povo, suscitando Santos e Santas que inspiram as mentes e os corações, levando à conversão. Catarina é uma dessas mulheres e ainda hoje fala-nos e estimula-nos a caminhar com coragem rumo à santidade, para sermos cada vez mais plenamente discípulas do Senhor.

Catarina ficou conhecida por ser medianeira de paz, reconciliadora e como mulher da Igreja. Paulo VI dizia: se todos os santos amaram a Igreja, Catarina foi das que mais amou. Ela foi uma figura mediática na Igreja do seu tempo.

Porque é que uma mulher, gente que contava tão pouco no longínquo séc, XIV, se tornou assim uma figura de tanto impacto? O seu protagonismo histórico advém-lhe do vigor da sua personalidade, e do modo carismático como respondeu, sob a ação do Espírito Santo, aos desafios da época em que lhe foi dado viver e atuar.

Catarina era uma mulher firme e tenaz com uma inteligência intuitiva capaz de penetrar no interior dos seus interlocutores. Muito sensível e com enorme capacidade de compreensão do sofrimento humano, físico, psicológico ou moral.

É comunicativa e disponível, doa-se incondicionalmente ao serviço dos outros, e manifesta grande capacidade de liderança. A sua chefia e a universalidade das suas preocupações transparecem nas 381 cartas que escreveu, dirigidas a um grande leque de auditores: familiares, governantes, reis, religiosos, bispos, papas, prostitutas. Apesar de ser enérgica, audaz e exigente, era uma mulher muito sensível e muito doce, afável e humilde. Manifesta uma grande capacidade de acolher e promover a vida. É disponível, aberta a Deus e aos outros.

Foi da sua oração, da sua contemplação, que nasceu a força para enfrentar todos os desafios, para estar à altura de príncipes e cardiais e falar-lhes de mãe para filhos e de filha para pais.

Foi ainda a sua vida em comum, pois sempre viveu em comunidade, que nasceu o seu sentido de unidade, de incentivar aos outros para que cumprissem a sua missão. Foi do seu saber escutar e ver, que nasceu a preocupação com a unidade de Igreja e com os acontecimentos políticos e sociais do seu tempo, onde ela estava inserida e colocavam em perigo o Corpo de Cristo do qual ela era membro.

Fixemos a nossa vida à luz de Jesus, Catarina e o Mistério:

Catarina será atual na medida em que nós assumamos seus ensinamentos e os ponhamos em prática.

Que os nossos Padres Fundadores nos mantenham viva em nós a chama do Carisma, e Maria nossa Mãe nos ajude a ser como Ela. Simples e humilde, contemplativa, sensíveis fortes ante o sofrimento, e fieis à missão que nos foi confiada.

Abraça-vos com carinho.

Lisboa 23 de abril de 2014

Irmã Adelaide Varanda

 

Feliz dia de Santa Catarina de Sena,

para todas e cada uma da Irmãs.

Fotogalerias

Bairro 6 de Maio
Casa Provincial
Colégio Flori
Exposição missionária
Festa padroeiro
Moçambique
Peregrinação Fátima
Porto
Retratos de Família
Semana Santa Moçambique