banner_dominicanas1 banner_dominicanas2 banner_dominicanas3 banner_dominicanas4 banner_dominicanas5 banner_dominicanas6 banner_dominicanas7

Acta do 30.º Encontro

Ao 28º dia do mês de Janeiro, do ano de dois mil e doze, pelas dez horas e trinta minutos, no colégio Flori, no Porto, reuniu-se o grupo L.E.A com a seguinte ordem de trabalhos:

 

10h30 -  Acolhimento

1. Saudação, partilha de notícias e de compromissos assumidos na (s) reunião (ões) anterior (es), aprovação da última acta e oração.


2. Reflexão sobre o momento actual do País, do mundo e a nossa “postura”
3. Almoço


4. Escolha do livro – há duas propostas - e da metodologia para o estudo sobre a Bíblia que nos propusemos fazer ao longo deste ano.

5. Planificação de outros aspectos: preparação dos Encontros, apadrinhamento do Colégio do Oecussi, Timor  e…

6. Contas

 Estiveram presentes os seguintes elementos: Tó, Amélia, Fernando, Fátima, Ana Miranda, Ana Tavares, Xana, Daniela, Noémia e as Irmãs: Adelaide, Deolinda, Maria José Baptista, Ilda.

Como sempre, tivemos um agradável acolhimento proporcionado pelas Irmãs do Porto e pelas colegas, com um cafezinho e uns deliciosos docinhos.
Iniciou-se a reunião com a apresentação de um power point relativo à crise económica/financeira, preparado pela Ana Margarida. Foi-nos também  apresentado o resultado do trabalho – muito interessante -  que algumas Professoras do Colégio Flori fizeram com as crianças das suas turmas, relativamente à situação que o País vive e consultou-se, além de outras fontes de informação, o Blog “O Bar do Alcides”. Toda esta documentação proporcionou uma reflexão, em conjunto, muito boa, sobre esta realidade, designadamente sobre a situação do País e dos problemas que têm vindo a afectar muitas famílias provocados, fundamentalmente, por esta crise. Ainda sobre este tema foi sugerida a leitura de um livro do Padre Tolentino de Mendonça, “Para uma Teologia da Crise”. Depois desta reflexão e partilha concluímos que temos que despertar e cultivar mais o sentido crítico e fazer esforço para estarmos informados. 

Como habitualmente, passou-se à hora das notícias: O Guilherme terminou a investigação que desenvolveu no Instituto Superior Técnico e já se encontra em Madrid, rumo ao Peru. O Professor que dá catequese às crianças, foi pai. Está a decorrer uma campanha de recolha de papel destinado ao Banco Alimentar. A Noémia vai dinamizar, a nível escolar, uma acção no dia da não violência.

Seguiu-se um delicioso almoço e um óptimo convívio, à beira mar, porque o dia estava lindo.

De tarde, iniciamos o 2º tema que nos propuséramos na reunião anterior, Estudar a Bíblia.

A Irmã Deolinda apresentou 2 Livros de estudo sugeridos pelo Frei Rui:
- Para Ler o novo Testamento, da Editora Perpétuo Socorro;
- Roteiro da Leitura da Biblia, do Frei Fernando Ventura, da Editora Presença.
A Irmã e a Amélia vão analisá-los e posteriormente irão sugerir aquele que considerarem ser mais indicado para iniciarmos o estudo.
Referiu ainda, nesta área, o trabalho desenvolvido pelos Capuchinhos, editando inclusivamente uma revista bíblica, os Cadernos bíblicos, que nos poderão ajudar a perceber melhor a Bíblia,
De seguida, lemos o texto do Evangelho do Domingo seguinte, Marcos 1,21-28, reflectimos com a ajuda da Irmã, e respondemos a 3 questões sobre a Bíblia, a sua actualidade, a fé que recebemos no berço e o nosso compromisso da leitura e reflexão das leituras de cada domingo.

O Tó, sempre oportuno, procedeu à leitura dum trecho duma revista antiga, enquadrada no tema do referido Evangelho: Uma Doutrina com Autoridade. Os Judeus tinham uma imagem de um Deus castigador e Jesus veio provar que Deus é um Deus Libertador. A Irmã concluiu que a Bíblia nasceu da vida.

Ainda por causa desse Evangelho falou-se também sobre o exorcismo tendo o Tó contado a sua experiência com o nascimento do filho João Pedro e a Xana contou outra, de que tinha conhecimento e que se verificou com o pároco da sua Paróquia. Foi um tema que despertou muita curiosidade, até porque todos sabíamos muito pouco sobre o assunto, mas ficamos de procurar alguma documentação.

Outro temas focados:
 - O apadrinhamento/ajuda para OECUSSI, comprometemo-nos, em todos os encontros, a contribuir monetariamente com o que cada um quisesse;
- O terço em Fátima, dia 8 de Março e quem quisesse poderia participar;
- O Intercâmbio entre o Centro Social e o Colégio
Por fim, terminou-se a reunião, regressando ao tema inicial da crise, e concluindo com uma Oração preparada pelos meninos do Colégio Flori, seguida de um óptimo lanche.

Lisboa, 14 de Março de 2012

Amélia Lopes

CONVOCATÓRIA Nº. 30

Lisboa, 11 de Janeiro 2012

Queridos Amigos do Grupo LEA

Passaram as férias, as festas natalícias e encontramo-nos num novo ano. Que tudo tenha corrido bem e que nos sintamos motivadas para viver de modo novo este tempo muito difícil para muitos, mas que também se nutre de desafios e de oportunidades únicas. Que o Grupo LEA seja uma força e uma inspiração para a vivência deste tempo.

Está a chegar o dia 28 de Janeiro, dia que se escolheu para o nosso próximoEncontro, no Colégio Flori, Porto. Neste dia toda a Igreja, mas de modo especial a Família Dominicana, celebra a festa do grande Mestre, Santo e Doutor, S. Tomás de Aquino.

Como o Guillermo vai para o Peru no próximo dia 27 deste mês e já não vai poder estar neste Encontro, envio eu esta Convocatória.

Agenda da reunião poderia ser, aproximadamente, a seguinte:

1. Chegada por volta das 10h30, para se iniciarem os trabalhos às 11h00.

2. Saudação, partilha de notícias e de compromissos assumidos na (s) reunião (ões) anterior (es), aprovação da última acta e oração.

3. Reflexão sobre o momento actual do País, do mundo e a nossa “postura”

4. Almoço

5. Escolha do livro – há duas propostas - e da metodologia para o estudo sobre a Bíblia que nos propusemos fazer ao longo deste ano.

6. Planificação de outros aspectos: preparação dos Encontros, apadrinhamento do Colégio do Oecussi, Timor  e…

7. Contas

Pede-se a confirmação da participação, sem falta, até ao dia 23.01, sobretudo os de Lisboa, por causa da organização dos transportes. Podem fazê-lo para a Ana Miranda, Porto, ou para mim: Tel. 965351208.

Um beijinho amigo

Ir. Deolinda

ATA DO 29º ENCONTRO DO GRUPO LEA

Fátima – 15/10/2011

Descrição: 416767_2457137517672_1529156356_32118296_814831268_oNo dia 15 de outubro de 2011, o grupo LEA reuniu-se para mais um encontro, em Fátima. Estiveram presentes os seguintes elementos: Irmã Deolinda, Irmã Carmen, Irmã Nati, Guilhermo, José, Tó, Amélia, Arminda, Nhanha, Fátima, Ana Miranda, Ana Tavares, Daniela, Ana Margarida e Noémia. A Rita e o Sílvio, devido a um imprevisto, só estiveram presentes de tarde.
Após o encontro na Capelinha das Aparições, pelas 10h, o grupo dirigiu-se para a Casa de Nossa Senhora das Dores, local definido para a reunião.
Iniciou-se a reunião com a apresentação das Irmãs Nati e Carmen, que estavam pela primeira vez connosco. 
Continuámos com a oração da manhã, seguida de um cântico. Os elementos do Porto entregaram uma flor a cada participante.
Como habitualmente, passou-se à hora das novidades. Tivemos a oportunidade de verificar o entusiasmo da Daniela que, com muita força de vontade, conseguiu ultrapassar alguns problemas. A sua felicidade foi visível em todos os aspetos, inclusive fisicamente, pois perdeu peso, o que, para além de ajudar a prevenir problemas de saúde, a torna muito elegante.
A Ana Miranda recebeu o prémio Padre Nuno Burguete, instituído pela Associação de Escolas do Ensino Particular e atribuído, anualmente, a vários professores dos diferentes estabelecimentos de ensino particular, com mais de vinte e cinco anos de serviço, no mesmo estabelecimento, sob proposta da direção das respetivas escolas. A Fátima e a Daniela, colegas de trabalho da Ana, enalteceram o mérito deste prémio. Reconheceram o excelente profissionalismo com que ela se dedica aos alunos, ao colégio e a tudo o que com ele se relaciona.
Também a Ana Margarida foi selecionada para uma bolsa de estudo, na área das Relações Internacionais, realizada na Bulgária. Fez-nos um pequeno relato da experiência, que foi muito rica, sobretudo pela oportunidade de contactar com pessoas de diferentes países.
A Madre Deolinda informou ainda que o Centro Social se encontra em obras e será mudado o local de entrada.
De seguida, foi feita, pela Madre Deolinda, uma proposta de reflexão sobre dois textos bíblicos (Is.6, 1-8 e Mt. 7, 21-26), um outro relacionado com palavras do Papa Bento XVI, proferidas durante a sua visita à Alemanha, e ainda outro relacionado com dois testemunhos de compromissos de fé - Sandra e Giorgio de La Pira. Até à hora do almoço, cada elemento do grupo teve liberdade para fazer a sua reflexão individual na sala, na capela ou no exterior. 
Depois de um agradável almoço, regressámos à sala, já com a presença da Rita e do Sílvio, que partilharam connosco os momentos felizes que viveram durante os preparativos e no dia do seu casamento. O grupo ofereceu ao casal um livro relacionado com o matrimónio.
O Guillermo tinha comprado uma vela no exterior e acendeu-a, no sentido de iluminar o grupo durante a reflexão que se iria seguir.
Passou-se então à discussão em grupo dos textos lidos de manhã, relacionando-os com o tema da reunião que incidia sobre a identidade do grupo e como motivar à fé e ao compromisso. Ficou claro que, para a maior parte dos intervenientes, a importância destas reuniões consiste na oportunidade de refletir em grupo sobre vários temas e partilhar experiências pois, dado o distanciamento dos diferentes elementos do grupo e as pressões do dia a dia de cada um, torna-se mais difícil o assumir de grandes compromissos. Foram feitas algumas propostas de trabalho que implicariam uma participação mais ativa: a reflexão em grupo nas pequenas comunidades, à semelhança da que se faz nas reuniões; o estudo e a interpretação de textos bíblicos; o aprofundar do conhecimento da liturgia; a leitura de livros, da área bíblica ou não, que seriam discutidos em grupo.
Após serem sugeridos livros, revistas e sites de internet que ajudarão as pessoas interessadas a melhorar os conhecimentos sobre os temas atrás referidos, ficou decidido que, nos encontros, de manhã, seriam lidas e comentadas as leituras bíblicas do domingo seguinte e que a Madre Deolinda iria aconselhar um livro por email, para que fossem comentados alguns capítulos, na próxima reunião.
Ainda se falou sobre Timor e da hipótese de apadrinhamento de crianças timorenses. Propôs-se o contacto com o Jorge, no sentido de se iniciar a correspondência entre os alunos do Flori e os meninos de Timor.
A Daniela expôs uma experiência da qual beneficiou a Acreditar e que poderia ser seguido por outros: os trabalhadores de uma empresa que recebiam ou trocavam presentes no Natal, abdicaram dele, revertendo o seu valor para instituições de apoio social.
Foram, por último, definidas as datas das próximas reuniões:

  • 28 de janeiro – no Porto, preparada pelos elementos de lá;
  • 21 de abril –  em Fátima , preparada pela Madre Deolinda e pela Amélia;
  • 7 de julho – em Lisboa.

A reunião terminou com uma oração e depois, no exterior, partilhou-se um lanchinho.

Ana Miranda, Daniela e Fátima

Descrição: 324561_2457143637825_1529156356_32118299_1876683907_o

Descrição: 323447_2457157798179_1529156356_32118305_1805515979_o

Apresentação do livro "KULUNGWANA"

Queridas Amigas e Amigos

As Missionárias Dominicanas do Rosário, ao celebrarem os 50 anos de presença em Moçambique, incluiram no seu programa de celebrações, homenagear as Mulheres, algumas das quais são verdadeiras heroínas pois conseguem, apesar das muitas dificuldades e sacrifícios, levar adiante, frequentemente sozinhas, a família, grupos, comunidades, etc. São, nalguns casos, verdadeiramente admiráveis! O Povo moçambicano está mal, muito mal em muitos aspectos, mas se não fossem estas mulheres, estaria, sem dúvida, muito pior.

Aliás esta realidade é extensiva à África e daí o ter circulado um baixo-assinado, para que o Prémio Nobel da Paz fosse atribuído à Mulher africana. De facto, neste ano de 2011, foram duas as mulheres africanas galardoadas.

As Irmãs pensaram, logo de início, que uma maneira de prestar essa homenagem, poderia ser com a publicação de um livro e três Voluntárias, portuguesas, ajudaram a concretizar esse projecto.

O livro tem como título KULUNGWANA, em ronga, que significa: grito de exaltação e alegria que se emite para manifestar o momento culminante de um acto ou de uma celebração.É uma forma sonora, profunda e chamativa que o povo moçambicano - e não só - tem de expressar um momento especial que está a viver.

Dada a relação histórica e afectiva entre Moçambique e Portugal e uma vez que as autoras são portuguesas, pareceu-nos de grande interesse fazer a apresentaçãodo referido livro, aqui em Lisboa . Mais adiante poderá fazer-se, também, no Porto.

É, pois, para esta apresentação que lhe faço este CONVITE e a sua presença dar-nos-ia imensa alegria.

O acto terá lugar no próximo dia 12 de Novembro, sábado, pelas 17h00 na Livraria "LER DEVAGAR", Rua Rodrigues Faria - dentro do LX Factory - Alcântara.

Vou mandar um outro e-mail que tem o Link que ajuda a localizar melhor esta Livraria.

Muita agradecia, caso conheça outras pessoas que possam estar interessadas nesta apresentação, que lhes enviasse este Convite.

Fico muito agradecida pelo carinho e apoio que possa dar a esta inicitaiva

Com um abraço amigo

Ir. Deolinda Rodrigues
Missionárias Dominicanas do Rosário

CASAMENTO DA RITA E DO SÍLVIO


No dia 3 de Setembro, A Rita Figueirinhas e o Sílvio, dois membros do GRUPO LEA, celebraram o seu casamento na Igreja Paroquial de Vila Nova de Santo André e quem participou, pode testemunhar que foi uma Celebração muito bem preparada – nenhum cântico, leitura, símbolo, dança, ou gesto estava ali por acaso -. Tudo tinha sido escolhido por alguma razão.

A alegria, simplicidade e originalidade dos noivos; a maneira bela, profunda, humana e próxima, como o Padre Júlio Lemos orientou a celebração e dialogou com os presentes e ainda o coro, muito bem ensaiado e acompanhado com vários instrumentos, fez com que fosse um casamento cheio sentido, vida, alegria e cor. Os convidados eram muitos, mas ninguém se mostrava cansado, ou com vontade de que a celebração terminasse. Ao contrário, ouviu-se no final, alguns dizerem que “nunca tinham participado num casamento assim”.

Como não podia deixar de ser, Moçambique, que lhes está no coração, esteve muito e sempre presente - a Rita fez 10 meses de Voluntariado nas Mahotas e o Sílvio 1 mês -. Essa presença teve várias expressões: as Hóstias que foram consagradas e distribuídas na Comunhão, tinham sido enviadas pelas Irmãs Missionárias Dominicanas do Rosário de Maputo e Mahotas; a Celina Panguana, grande amiga dos noivos, veio de propósito para este dia; alguns dos cânticos, instrumentos musicais e alguns símbolos do ofertório, também tornaram esse País presente.  O próprio bolo de noiva, tinha a forma do continente africano.

Toda a celebração foi um lindo e vivo testemunho de quem é verdadeiramente  cristão e vive com entusiasmo a sua fé, em Cristo.

 

Obrigado, Rita e Sílvio!

O que se segue foi retirado duma mensagem de agradecimento que a Rita e o Sílvio enviaram, depois, para todos os que viveram com eles este acontecimento tão importante das suas vidas:

“…A todos os que estiveram presentes no dia 3 de Setembro obrigada pela vossa presença (tão importante para nós), por terem vivido intensamente connosco a cerimónia na Igreja…

Ao Clero… ehehe… Irmãs e Pe Júlio… foram imprescindíveis para que a nossa cerimónia e a nossa história fosse de facto como num conto de fadas…

Obrigada também a todos pela vossa alegria e boa disposição na copo d’água… Foi lindo…maravilhoso… muito divertido… e um dia muito feliz… principalmente porque vos tínhamos a todos reunidos num momento tão importante…

Obrigada também pelos vossos presentes, pelas surpresas que alguns nos prepararam… o power point (maravilhoso)… até houve quem cantasse para nós a solo… outros cantaram-nos uma serenata… lol… foi fantástico…

Quanto à Lua de Mel (obrigada também aos que contribuíram para ela)… foi maravilhosa… já tivemos oportunidade de contar algumas coisas a alguns… o cruzeiro é qualquer coisa de espectacular… adorámos as ilhas gregas e principalmente Dubrovnik… e Veneza… bem… é deslumbrante… e muito romântico… Enviamos algumas  fotos para terem um cheirinho…

Quanto à vida de casados… cá andamos… às voltas ca casinha vazia… usando e abusando da nossa Bimby (obrigada Ámigas)… arrumando caixotes e mais caixotes… construindo aos poucos o nosso ninho do Ámor… ehehe…

Beijinhos e Abraços

Dos casadinhos de fresco e muito felizes….

Inha e FivoJ (para quem não percebe este código… Rita e Sílvio)”

 MDR

CONVOCATÓRIA Nº 29

 

Resumo:
Data    : 15 de outubro de 2011
Ora     : 10h00 am
Lugar  : Fátima, Casa de retiros de Nossa Senhora das Dores.
Tema   : “Como motivar à  Fé e ao Compromisso?”

Como foi recordado há dias, temos o nosso Encontro do Grupo LEA, no próximo dia 15 de Outubro, sábado, em FÁTIMA. Desta vez,, vai ser na  Casa de Retiros de Nossa Senhora das Dores, ou seja, aquela que fica junto ao Santuário, do lado da Capelinha das Aparições.

Os nossos últimos Encontros têm sido marcados pela reflexão e debate sobre a “identidade” do Grupo. Embora nos pareça que já várias vezes chegamos a alguma conclusão, e de facto chegamos, temos que reconhecer que a vida e a realidade não são estáticas. Depois há sempre alguém – e ainda bem – que se interroga sobre isso mesmo. Assim sendo, que lhes parece que se retome o tema? Nesta perspectiva, no Encontro que se realizou em Julho, na Casa Provincial, decidiu-se que a nossa primeira Reunião de Outubro, teria uma tónica de maior silêncio, reflexão, retiro… e que o tema seria “Como motivar à Fé e ao Compromisso?”.

Assim sendo propõe-se o seguinte programa:

10h00 – Chegada
10h15 – Encontro nas traseiras da Capelinha das Aparições e ida para a Casa de Retiro
10h30 – Apresentação dos participantes e do plano do dia  *
                        .Invocação ao Espírito Santo para que nos ilumine e ajude
                        .Silêncio, oração, reflexão
13h00 – Almoço
14h30 – Partilha sobre a reflexão feita e programação futura
17h00 – Oraçao final
17h15 – Fim das actividades e lanche partilhado

Como sabem, nós temos que comunicar, necessariamente, ao Santuário de Fátima o número exacto de quantos somos. Por essa razão pede-se, que por favor, confirmem quem vai, até ao dia 12 de Outubro. Podem fazê-lo ou para o Guillermo ou para a Ir. Deolinda. Não esqueçam, por favor!

Atentamente
                                                           Guillermo e Deolinda

* Nota 1: Na última Assembleia Provincial, que nós Irmãs, tivemos, ponderaram-se as vantagens e/ou inconvenientes que poderia haver se uma Irmã de cada Comunidade participasse nos Encontros dos LEA, e viu-se que isso poderia aproximar mais o Grupo, às Missionárias Dominicanas e vice-versa, tanto mais que, pelo facto de a todos nós nos dar mais jeito fazer alguns Encontros em Fátima, essa ligação poderia esmorecer... Assim sendo, neste próximo Encontro, vai estar mais alguma Irmã. 
Pede-se desculpa por esta reflexão não ter sido feita antes, no Grupo, mas foi algo que surgiu no seguimento da avaliação da nossa vida e acção. Em Outubro podemos falar sobre isto.

XXVIII ENCONTRO LEA

XXVIII ENCONTRO LEA
ACTA DE 16-07-11

Presenças: Tó, Xana, Amélia, Fernando, I. Deolinda, Noémia, Guillermo, Sr. Zé, I. Adelaide, Daniela, Fátima, Ana Miranda, Teresa Velosa e Teresa Oliveira.

Deu-se início ao encontro com a apresentação mútua dado que estava presente um novo elemento a convite da Teresa Velosa.

A Amélia e o Fernando tiveram de ausentar-se devido a compromissos familiares, tendo o Fernando, uma vez mais, lançado o repto ao grupo sobre o que sente ser fundamental, ou seja, o grupo deve ir mais além ao nível da sua acção concreta, tema que o grupo pretende retomar nos próximos encontros.
De seguida os membros do grupo deram conta das novidades: a Daniela iniciou voluntariado na ACREDITAR. A I. Adelaide informou da realização da festa de S. Domingos a 3 de Julho, no Bairro 6 de Maio. A I. Deolinda falou da sua recente visita aos EUA mais precisamente à província de Providence. Esta diocese costuma organizar com as Paróquias portuguesas (7 no total), na sua maioria de origem açoreana, a iniciativa “Apelo à Cooperação Missionária”. Acrescentou que a realidade desta zona não tem nada a ver com a imagem que normalmente existe na Europa em relação aos EUA. Aqui as pessoas convivem muito, fazem celebrações tradicionais e encontram-se muitas pessoas comprometidas com a igreja, com o bem comum, há uma maior participação dos homens na igreja e um espírito muito aberto.

Como havia ficado decidido no encontro anterior, o Guillermo orientou os trabalhos e começamos então com a leitura do êxodo 3, 13-15. Seguiu-se uma reflexão e dinâmica sobre a “esperança” através dos contributos dos elementos que participaram na caminhada no Porto.

Após uma breve oração de acção de graças em grupo e de um Pai-nosso, foi tempo de reflectir sobre o tema escolhido para este encontro: “Um pouco mais perto das Missionárias Dominicanas”. O Guillermo surpreendeu o grupo e preparou uns slides com fotos ilustrativas sobre a história, origem e acção missionária das Irmãs. Dois aspectos fundamentais foram focados: o início da congregação e o carisma.

Muito resumidamente e sobretudo para quem não esteve no encontro poder acompanhar: a congregação surgiu primeiro no Peru (Porto Maldonado), em 1918, através de Monsenhor Zubieta, com a cooperação de Ascensão Nicol e outras Irmãs, como resposta a uma necessidade premente de instaurar a igreja entre os nativos da selva peruana. A promoção da mulher foi um dos aspectos mais relevantes da acção da congregação. O seu carisma consiste em “envangelizar os pobres nas situações missionárias onde a igreja mais necessita”. Este carisma é vivido através da missão e é alimentado pela fé, oração, comunidade, escuta e estudo.

Terminada a manhã foi altura de petiscar um delicioso arroz de pato preparado pelas irmãs da casa provincial J e dar um passeio à volta da casa para ver as flores, hortaliças e legumes.

De volta à sala do encontro vimos umas fotos do último capítulo geral que costuma realizar-se de 5 em 5 anos. Consiste em reunir uma assembleia representativa de todas as irmãs da Congregação com o objectivo de fazer uma revisão de vida e de missão e simultaneamente uma projecção do futuro. Desta feita houve lugar a uma reflexão sobre como viver a partir de uma escuta ao que o Espírito pede num mundo em mudança. Os temas principais abordados foram: centrar a vida em Deus, formação, presenças pioritárias e significativas nos locais, papel dos leigos, voluntariado e investimento nos novos meios de comunicação.

O grupo fez também a avaliação do ano 2010/2011 nomeadamente: os 4 Encontros, a caminhada, o intercâmbio entre o Flori e o Bº 6 Maio e a visita do Jorge ao Colégio, através de uma dinâmica em que cada elemento escolhia uma côr para pintar parte de uma flor.

O grupo foi unânime em considerar que a metodologia dos Encontros deveria pautar-se por dois vectores igualmente importantes: a reflexão e acção.
Terminados os trabalhos marcou-se o próximo encontro para dia 15 de Outubro, em Fátima, ficando em aberto o grupo propôr temas de reflexão e eventuais convidados.

Lisboa, 16 de Julho de 2011.
A LEA - Teresa Velosa

Fotogalerias

Bairro 6 de Maio
Casa Provincial
Colégio Flori
Capítulo
Fundadores
Moçambique
Mocambizade
Peregrinação Fátima
Retratos de Família
Semana Santa Moçambique